domingo, 25 de maio de 2008

Mar Português

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

+*+Fernando Pessoa+*+

* Lisboa, 1888
+ Lisboa, 1935

5 comentários:

Sandro M. Gomes disse...

Este é sem dúvida o poema que define Portugal. Pessoa, em pouco mais de meia dúzia de palavras consegui traduzir anos, séculos, da história de Portugal...
Parabéns pelo Blog.
Bjs

Cila & Di disse...

É fabuloso este poema de Fernando Pessoa...
Beijo doce da Cila.

P.S. Obrigado pela visita aos meus espaços ;)

Desarranjo Sintético disse...

Bah, Fernando Pessoa! Sempre cai bem. Se não fossem os portugueses, talvez não precisaríamos de curso de inglês, mas como o autro mesmo diz, tudo vale a pena...rsrs.

*izil* disse...

Fernando Pessoa
muita sensibilidade quase insuperavel
parabéns por suas escolhas
izil

João Videira Santos disse...

Pessoa...Como têm voz as suas palavras, como elas alcançam a eternidade quando, na verdade, só foi fsmoso depois de salgar os olhos de quem o leu...