quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Cantiga sua partindo-se

Senhora, partem tão tristes
meus olhos por vós, meu bem
que nunca tão tristes vistes
outros nenhum por ninguém.

Tão tristes, tão saudosos,
tão doentes da partida,
tão cansados, tão chorosos,
da morte mais desejosos
cem mil vezes que da vida.

Partem tão tristes
tão fora d’esperar bem,
que nunca tão tristes vistes
outros nenhum por ninguém.

+*+João Ruiz de Castelo Branco+*+
Nota Sobre o Autor

O poeta viveu na segunda metade do século XV
É um dos inúmeros poetas do Cancioneiro Geral e esta cantiga é um dos mais conhecidos poemas do período Humanista

6 comentários:

O Profeta disse...

Quanta beleza contém a tua luminoza alma...


Doce beijo

Mirelle disse...

Gostei do seu blog, encontrei aqui alguns dos poemas que li na adolescência (que foram importantes na época)e que tinham se perdido no tempo.

Mirelle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mirelle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mirelle disse...

ahhhh, obrigada pelo comentário no meu blog! vc é de Sergipe?

maicher disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.