quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Dois e dois quatro

Como dois e dois são quatro
sei que a vida vale a pena
embora o pão seja caro
e a liberdade pequena.

Como teus olhos são claros
e a tua pele, morena
como azul é o oceano
e a lagoa, serena.

Como um tempo de alegria
por trás de terror me acena
e a noite carrega o dia
no seu colo de açucena.

Sei que dois e dois são quatro
sei que a vida vale a pena
mesmo que o pão seja caro
e a liberdade, pequena.

+*+Ferreira Gullar+*+

2 comentários:

Dois Rios disse...

Como dois e dois são quatro, Ferreira Gullar é um poeta maravilhoso.

Beijos,
Inês

superior disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.