domingo, 1 de fevereiro de 2009

?!

Se as tuas mãos divinas folhearem
As páginas de luto uma por uma
Deste meu livro humilde; se poisarem
Esses teus claros olhos como espuma

Nos meus versos d’amor, se docemente
Tua boca os beijar, lendo-os, um dia;
Se o teu sorrir pairar suavemente
Nessas palavras minhas d’agonia,

Repara e vê! Sob essas mãos benditas,
Sob esses olhos teus, sob essa boca,
Hão de pairar carícias infinitas!

Eu atirei minh’alma como um rito
Às trevas desse livro, assim, ó louca!
A noite atira sóis ao infinito!...

+*+Florbela Espanca*+*+
in O livro d’ele

* Vila Viçosa - Alentejo, 8 de dezembro de 1894
+ Matosinhos - Douro, 8 de dezembro de 1930

*Flor Bela de Alma da Conceição Espanca

Um comentário:

Cöllyßry disse...

Que escolha bela esta, querida...É sempre bom reler esta deliciosa Poetisa...

Já disse que tem selinhos? aqui


ölhår_Îñðîscrëtö...Å ¢µ®¡ö§¡dädë


Terno beijo